Buscando… (2018)

Por Nagib Salha

Sem dúvidas, Buscando… é um dos melhores suspenses exibidos nos cinemas em 2018. Um Hitchcock moderno, surpreendente e emocionante. Aneesh Chaganty consegue transmitir tensão e emoção o tempo inteiro em uma narrativa recheada de reviravoltas.

O filme inicia de forma nostálgica e interessante. Utilizando o ultrapassado (e saudoso) Windows XP, somos levados para uma viagem virtual com a família Kim: David (John Cho), Pamela (Sara Sohn) e a filha do casal, Margot (Micehlle La). 15 anos se passam rapidamente na abertura, com fatos relevantes na tela juntos ao sentimento de orgulho do pai David deslizando o cursor entre fotos, vídeos e compromissos no calendário. Acompanhamos os primeiros momentos da pequena Margot, navegando por uma agradável e simples melodia de seus primeiros passos no piano.

Diante desse movimento, chegamos até o momento trágico da família, quando Pamela é diagnosticada com um Linfoma. Descobrimos tudo isso através de cliques em pastas e arquivos. Os elementos utilizados na trama realmente me conquistaram. A forma como se desenrola através de movimentos inteligentes dentro de uma história com aquele sentimento real entre o relacionamento familiar (pai e filha).

A dedicação de David o faz controlar os passos de sua filha através de um aplicativo de chamadas de voz e vídeo. Certa noite, Margot tenta se comunicar com David sem sucesso e, somente no dia seguinte, ele percebe as chamadas perdidas. Sem sucesso ao retornar as ligações, David nota algumas situações inusitadas, como por exemplo, o lixo que não foi colocado para fora de casa por Margot e o notebook que foi esquecido em casa. Iniciando sua busca por respostas, David descobre também que Margot vinha faltando as aulas de piano. Desesperado, ele entra em contato com a polícia.

A detetive Vick (Debra Messing), foi selecionada para o caso. Ela inicia o trabalho rapidamente e, com o passar do tempo, começa a acreditar em duas hipóteses: sequestro e homicídio. A partir deste momento, David resolver arregaçar as mangas e iniciar sua busca. Ele navega por redes sociais e e-mails, descobrindo muito mais do que imaginava, inclusive que sua filha era uma garota solitária e nada popular. Diante dos fatos vistos na nuvem, ele passa também a duvidar do caráter e honestidade de Margot.

Assistir como a vida familiar pode desmoronar após um acontecimento trágico ou mesmo perceber que o que imaginamos sobre nossos filhos não é exatamente o que aparenta, são algumas das lições apresentadas neste longa muito bem escrito e executado por Aneesh Chaganty. A forma como o diretor mostra a reação de oportunistas buscando fama com a tragédia de alguém, até aquele momento desconhecido, também esbanja realidade (o desaparecimento viraliza no Twitter, criando uma hashtag #FindMargot revelando a hipocrisia em todos aqueles que antes nem percebiam a existência de Margot).

O mais impressionante disso tudo é que, até que o corpo venha a ser encontrado, vivo ou morto, o suspense é indestrutível. As revelações causam emoção e tensão na dose certa, deixando todos na expectativa de que tudo pode mudar até o último momento. Buscando… é o mistério que eu estava “buscando” já faz um bom tempo.

Buscando… (2018) – Título original: Searching. Escrito e dirigido por Aneesh Chaganty. No elenco: John Cho, Sara Sohn, Michelle La, Joseph Lee, Debra Messing e Megan Liu. EUA. Duração de 102 minutos.

Compartilhe: