Crônicas de Natal (2018)

Por Nagib Salha

Kurt Russell acabou de se tornar o melhor Papai Noel de todos os tempos. O ator se diverte o tempo inteiro em uma das mais interessantes interpretações de sua carreira. Os mitos e tradições relacionados a figura mais importante do Natal são encaradas com muito humor pelo personagem e transformam Crônicas de Natal em um filme obrigatório para toda a família.

“Ho-Ho-Ho!” não faz parte das frases de Noel e muito menos a imagem daquele velhinho gordinho nos anúncios de refrigerante (isso o deixa irritado). Sempre encarando com bom humor as dúvidas e críticas, o personagem de Kurt Russel torna-se tão importante que você certamente vai ficar irritado quando ele não estiver em cena. É notável também a referência introduzida pelo diretor Clay Kaytis (Angry Birds: O Filme de 2016) aos grandes clássicos de aventura dos anos 80, principalmente a longas dirigidos por Chris Columbus (produtor deste longa), dando prioridade ao ritmo acelerado e diversão familiar.

Justamente na véspera do Natal, Claire (Kimberly Williams-Paisley), mãe de Kate (Darby Camp) e Teddy (Judah Lewis), não poderá ficar em casa pois fora chamada para trabalhar no hospital (ela é enfermeira), deixando então seus filhos sozinhos em casa no feriado. Teddy tem comportamentos suspeitos e após ser flagrado por Kate, resolve ajudar a irmã a tentar filmar e provar a existência de Papai Noel. A missão acaba dando certo, mas embrulha em papel vermelho um terrível presente de Natal: a destruição do trenó, a fuga das renas, o sumiço do saco de presentes e gorro “mágico” de Noel.

Tudo isso pode causar uma grande tragédia, o Espírito do Natal não pode acabar. Se isso ocorrer, irá desencadear uma sequência de crimes e desordens por todo o planeta. O que vem a seguir é uma noite de aventuras por muitas cidades, quando Kate e Teddy se juntam a Papai Noel, em um bocado de acontecimentos mágicos e muito divertidos para tentar salvar o feriado.

Clay Kaytis nos leva a sequências fantásticas e jamais vistas em filmes do gênero, enriquecidas com ótimos efeitos visuais, que incluem viagens no trenó alucinantes, perseguições em um Dodge Challenger, magias (Noel entrando nas chaminés ou tirando presentes de seu casaco, por exemplo), embate com criminosos (que termina de forma hilária), mensagens bastantes educativas e uma performance de Kurt Russel na prisão simplesmente inesquecível, digna de ser vista inúmeras vezes.

Apesar de tudo, você vai se perguntar sobre alguns estranhos acontecimentos. Exemplo: o saco cai em uma árvore e só aparece alguém para pegá-lo quando Teddy finalmente o encontra? Claire passa a véspera de Natal no hospital e não liga uma única vez para saber como estão seus filhos? Mas, não deixe essas coisas tão pequenas atrapalhar a magia de Crônicas de Natal. As crianças certamente nem irão notar.

Temos aqui um filme realmente encantador com a atmosfera necessária de sentimentos natalinos que o torna agradável para todas as idades. A Netflix acertou! Fez um golaço com o Papai Noel mais legal e subversivo do cinema.

Crônicas de Natal (2018) – Título original: The Christmas Chronicles. Dirigido por Clay Kaytis. No elenco: Kurt Russell, Judah Lewis, Darby Camp, Kimberly Williams-Paisley, Oliver Hudson, Martin Roach, Lamorne Morris e Goldie Hawn. EUA. Duração de 104 minutos. Disponível na NETFLIX.

 

Compartilhe: